Criações | Co-produções

Descarregue o 'Dossier Criações 2011' | Descarregue 'Dossier Itinerância 2011'
Índice de Conteúdos:
1) Música no Vale (2011)
2) Antígona em N.Y. (2010)

3) Criações 2009 > 2002
__________________________________________________________


Antígona em Nova Iorque 
de Janusz Glowacki
(declarada peça teatral de relevância cultural pelo M.C./I.G.A.C. a 20/10/2010) 

Estreou a 18 de Novembro de 2010
(esteve em cena de 18 de Novembro a 11 de Dezembro)
ingresso/bilhete - €8
-26 - €5
+65 - gratuito


Fotos <

Info e reservas: abruxateatro@gmail.com | 266 747 047 
Local: ruína da Ermida de S. Bartolomeu (Largo da Porta de Avis, Évora)
Horaŕio: de 4ª a Sábado às 21h30
Lotação: 44 lugares
Classificação etária: M/16
Sinopse: Partindo da obra de Sófocles, Glowaki recria 'Antígona' aqui e agora. Três sem-abrigo vivem ao relento. Um companheiro morto de frio é ‘atirado’ para Potter’s Field, local de corpos amontoados e sem nome. Anita, uma porto-riquenha sem-abrigo, desafiando autoridade e Lei, tudo faz para resgatar o corpo abandonado e providenciar-lhe uma sepultura digna. Um texto intenso e cheio de humor, cativante de humanidade e esperança, mas onde a comédia dá lugar à tragédia.
---
“É certo que há uma quantidade surpreendente de humor nas palhaçadas dos três sem-abrigo que vivem num parque da cidade de Nova York, mas a sua situação é, em última instância, inevitavelmente, trágica.” (Amy Reiter, Back Stage).
---
Título original 'Antígone in New York' (Pol, 1994)
Texto de Janusz Glowacki | Tradução de António Henrique Conde | DramaturgiaDirecção de Actores e Encenação de Figueira Cid | Cenário e Figurinos de Miguel Mocho | Desenho de Luz de Carlos Arroja | Direcção Técnica de Henrique Martins | Obra Original de Rita Vargas | Sonoplastia de António Abernú | Montagem e Operação Técnica de Henrique Martins | Vídeo de Pedro Bizarro | Secretariado e Assistência de Produção de Hugo Barros | Fotografia de António Abernú e Figueira Cid | Design Gráfico de Figueira Cid | Costura de Vicência Moreira | Produção d'a bruxa Teatro.
---
Interpretação de António Abernú, Figueira Cid, Lucília Raimundo, Pedro Estima e João Pedro.
---
Agradecimentos a Estradas de Portugal, S.A., Caritas Diocesana de ÉvoraDepartamento de Artes Cénicas da U.E.Comando de Instrução e Doutrina do ExércitoAss. Colecção B/Escrita na PaisagemAss. PédexumboLuzeiroMário Grilo Toldos, Videomodus, Joaquim Soares, Joaquim Faria e a todos os funcionários da C.M.E. que, com o seu empenho e dedicação, contribuíram e criaram as condições, por força do seu trabalho, para a realização desta produção.
---
ruína da Ermida de S. Bartolomeu cedida no âmbito da parceria efectuada com a Estradas de Portugal, S.A.
© 2010 abT 
© Rita Vargas

(Ruínas da Ermida de S. Bartolomeu | Foto por Joaquim Carrapato)
---

“Mantinhas azuis e escuras à nossa espera. Isso e um tecto trabalhado e mal caiado para nos fazer pensar sobre as ruínas que autorizamos na cidade que é património da UNESCO. Autorizamos ruínas de um património de que nos deveríamos orgulhar por todo o país. Mas essa nem sequer é a nossa maior ruína…
Um plástico transparente entre eles e nós e depois cai o pano. Não costuma cair o pano antes de começar, mas aqui é assim que começa.
Um pano branco, com ares de tela de cinema, que vai ficar lá até ao fim, para nos filtrar a realidade. Estamos já habituados a filtrá-la, a impor-lhe uma distância, pelo que não estranhamos assim tanto vê-los a eles do outro lado.
E estava frio, muito. O termómetro do carro haveria de marcar zero graus duas horas depois.
Para eles, o frio é cenário e estado de espírito. Tapam-no com sobrepostas peças de roupa, tampam-no com o álcool, o mesmo que esconde o que lhes sobra ainda de vontade, o mesmo que lhes acrescenta resignação.
As quatro histórias que o Glowacki cruza colocam-nos como espectadores desse estado terminal da dignidade, da nossa e da deles. E espectador é o que optamos por ser quase sempre, só que o Glowacki e a bruxa Teatro obrigam-nos a ter consciência de que é só isso que fazemos.”
Susana Marques
---

“Janusz Glowaski, dramaturgo polaco, escreveu em 1994 o texto 'Antígona em Nova Iorque'. Uma reflexão sobre a solidariedade que se constrói nas relações entre os sem abrigo e os desamparados da vida. Figueira Cid, a partir da tradução de António Conde, encenou um espectáculo tocante. (…)coloca-nos na posição desconfortável de seres socialmente conscientes mas que olham para a tragédia da pobreza e da exclusão social através de um filtro criado por mil e uma justificações, qual delas a mais convincente. Qual delas a mais falível. Antígona em Nova Iorque assume-se como uma lição de cidadania dada pelos enteados da vida. Um excelente trabalho e um exemplo do serviço que o teatro deve prestar ao seu público.” 
Ana Oliveira, crítica de arte in 'Impressões Visuais
---

“Obrigado, Bruxa. É curioso que ainda ontem estava a pensar em vós. Como é que uma estrutura tão dentro do Portugal profundo tem a coragem de investir em textos de tal qualidade. Aqui fica a minha vénia, com desejos do maior sucesso para os vossos projectos de 2011!” 
Eduardo Condorcet, Actor/Encenador, in facebook 
---

“Quando se fala tanto na pouca descentralização de actividades culturais por este país, o grupo a bruxa Teatro (abT) faz um trabalho meritório em Évora. Antígona em NY de Janusz Glowaski (tradução de António Conde) é representada na Ermida de S. Bartolomeu, um edifício em ruínas. Um cenário mais que adequado ao texto que se representa pela noite dentro, ao frio de Novembro e Dezembro. No ano 2010, Ano Europeu do Combate á Pobreza e Exclusão Social, este texto fala de 3 “sem abrigos” que “vivem” em Tompkins Square Park, Manhattan. Cómico às vezes e devastador. O público alojado no que resta da capela-mor da ermida, assiste, através de uma tela velada, à acção que se passa num exterior, degradado e sujo. Este separador serve de ecrã mas também como que filtra a realidade difícil de entender e aceitar. Um bom trabalho que devia ser visto em muitos palcos, incluindo Lisboa.” 
José Moura in 'Areia do Tempo''
---

“Parabéns pela excelência deste trabalho e pela reflexão, importante e oportuna, que nos obriga a fazer!” 
Maria Isabel Mendes in facebook 
---

“Parabéns também pela criatividade....está fantástico!” 
Filomena Santos in facebook 
---

“(…) Desta vez a Bruxa arrasou. Grande espectáculo. Grande Arte. Vale bem a pena arriscar e ir em frente. Parabéns a ti, Cid, e à Companhia.” 
José Sousa Macedo in facebook 
---

“Muito boa a peça, ontem à noite (‘Antígona em Nova Iorque’). Já tinha gostado da outra peça representada na ermida de São Bartolomeu (‘Stabat Mater Furiosa’) mas esta deixa muito em que pensar sobre a nossa sociedade e o relacionamento humano. Parabéns a todos.” 
Jorge Moleirinho por e-mail 
---

“Cru… sincero… sentido… LINDO! O espaço, a forma como os olhos brilham entre sorrisos e lágrimas de revolta. Reflexão, reflectida, aceite. Violino de sentimentos em eufórica sensação de capacidade… Com isto tudo permitam-me humildemente agradecer a oportunidade de ver um BOM trabalho. PARABÉNS.” 
Marta Pereira in facebook 
---

“Óptima peça (…)! Parabéns pelo excelente trabalho! Continuação de sucessos. Bem-haja!” 
Ainoha Leporello in facebook 
---

“Vale a pena ir ver... Uma peça que nos faz pensar neste ano dedicado à Pobreza e à exclusão social na Europa e num ano em que uma crise anunciada desabou na mesma, faz todo o sentido a reflexão interior que o texto desperta em nós... Os meus parabéns à "Bruxa teatro" 
Rui Miguel Grilo Melgão, in facebook 
---

“Estive na última representação de "Antígona em Nova Iorque ", e dou os meus PARABÉNS AOS ACTORES E EQUIPA TÉCNICA, pelo excelente trabalho apresentado.” 
Carlos Gato in facebook 
---

‎"Uma peça simplesmente maravilhosa!!! (…). Gostei verdadeiramente do que vi! (…)” 
Sophia Cunha in facebook 
---

‎“Fui ver esta noite e adorei! A maneira como o público vê o espaço está brutal. Parabéns!” 
Luís Torradas in facebook 
---

“Todos os obstáculos se ultrapassam quando se tem a garantia da excelência, do rigor, do bom gosto. Foi com imenso prazer que partilhei um pouco do frio dos actores e agradeço-te por nos teres oferecido este espectáculo. (…)” 
Ana Oliveira in facebook 
---

“Obrigado...pela magnifica noite de sábado e pelo espectáculo que foi vê-los representar! e o espaço...insólito, mas tão adequado.” “Parabéns....pelo local escolhido, o tema tão actual...e pela interpretação de todos, mas principalmente da Lucília Raimundo” 
Anabela Fialho in facebook
---
__________________________________________________________

O Passageiro da Noite
Gao Xingjian (2009)

- Só
Borje Lindstrom (2009)

- O Coleccionador
Mark Healey (2009)

- 4 Mulheres de Coragem
Rona Munro (2008)

- Stabat Mater Furiosa
Jean Pierre Siméon (2008)

- Mulheres Que Passam
Yves Reynaud (2007)

- Murlin Murlo
Nikolai Koljada (2006)

- Escola de Maridos
Molière (2006)

- Escólicas
Criação colectiva (2006)

- A Voz Humana
Jean Cocteau (2006)

- Palavras Submersas
Jorge Diáz (2006)

- Pobre de Pedir
Curta Metragem de Vítor Moreira, baseada no conto homónimo de Miguel Miranda (2006)

- Castrato
Eugene Scribe (2005)

- Pranto de Maria Parda
Gil Vicente (2005)

- Velho Palhaço, Precisa-se!
Matei Visniec (2005)

- O Crivo
Michel Azama (2004)

- Mulher Como Campo de Batalha
Matei Visniec (2003)

- História da Gata Borralheira
Sophia Mello Breyner (2002)

- Kabarett Karl Valentin
Karl Valentin (2002)

- Rindo à Bruta
Christopher Durang (2001)

- Fêne-Cá-Ló
Ernesto Leal (1993)

- Conserto
Karl Valentin e Eduardo de Filippo (1992)

- Sonhos
Figueira Cid (1991)







© 2010 abT